Diário de Bordo

Aqui ficará registado as aventuras e desventuras do meu percurso pelos mares das tecnologias... Foi com este objectivo que iniciei este diário. Hoje é mais do que um blog sobre o estudo das Tecnologias Educativas; é um registo do meu percurso de aprendizagem (de vida), onde as tecnologias continuam a ter importância. Sei que não o teria consigo manter se não fosse o seu formato digital; as interacções que aqui se estabelecem.

segunda-feira, outubro 18, 2004

Pensar alto..

Sentir-se parte integrante de uma dada comunidade, de um grupo demora o seu tempo; carece de adaptação por parte dos seus membros e depende, em muito, do esforço de cada um em fazer parte do grupo. Os primeiros contactos, as primeiras interacções são sempre os momentos mais difíceis, mas também os mais importantes para que os indivíduos se identifiquem como grupo / comunidade.
A interacção é realmente a chave para que essa identificação com o grupo floresça, cresça e se intensifique. Ao interagirem uns com os outros os indivíduos podem, ou não, tornar-se mais próximos e mais confiantes dos benefícios que a comunidade lhes pode oferecer.
Se esta primeira etapa for ganha, se a potencialidade da comunidade for reconhecida, é muito provável que a interacção entre os seus membros se desenvolva rapidamente e o sentimento de grupo se intensifique. Os laços estreitam-se e tal acaba por se revelar na intervenção de cada um.

... e o grupo CVA para lá caminha. Os primeiros passos estão dados, os primeiros contactos estabelecidos. Agora há que estreitar laços, o que acabará por acontecer naturalmente, à medida que as interacções e intervenções se tornem mais frequentes e incisivas.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial