Diário de Bordo

Aqui ficará registado as aventuras e desventuras do meu percurso pelos mares das tecnologias... Foi com este objectivo que iniciei este diário. Hoje é mais do que um blog sobre o estudo das Tecnologias Educativas; é um registo do meu percurso de aprendizagem (de vida), onde as tecnologias continuam a ter importância. Sei que não o teria consigo manter se não fosse o seu formato digital; as interacções que aqui se estabelecem.

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

:(

Era uma vez uma Ela e um Ele. Conheceram-se. Apaixonaram-se. Passados poucos meses, arrebatados por uma grande paixão, foram viver juntos. Os olhos dela brilhavam, resplandecendo a alegria e a felicidade de ter encontrado o amor novamente. Os olhos dele eram serenos, aparentavam a calma e a tranquilidade por que ela tanto ansiara. Estavam felizes, de bem com a vida.

Estavam, porque já não estão…Porque aquilo que parece nem sempre é. Porque há pessoas que se fazem passar por aquilo que realmente não são - talvez o que gostariam de ser, quem sabe? - acabando por se revelar na sua pior versão e por magoar aqueles que fazem tudo, mesmo tudo, para que a relação se mantenha sempre harmoniosa.

O amor é uma estrada de duas vias, que se constrói e se desenvolve na troca constante de afecto, carinho, compreensão, entendimento e, acima de tudo, amizade. Quando tudo isto prevalece só para uma das partes, então passa a ser um beco escuro, confuso, sem grandes hipóteses de saída…Quando os maus-tratos, violência psicológica e ameaças predominam na outra parte, então mais vale desistir, seguir em frente. Mas o desespero (secreto) de não ser amado e a previsão de longos dias de sofrimento vislumbram-se mais dolorosos que passar por esse angústia contínua, enquanto aguardam pelos tempos que já não voltam. Será que vale a pena?

Nos dias que correm custa-me aceitar que esta ainda é uma realidade eminente na nossa sociedade. Revolta-me!

Como já puderam constatar, esta não é uma história de fadas e muito menos de encantar. É antes mais uma narrativa de uma Ela e de um Ele que um dia se encontraram para só mais tarde descobrir que afinal não foram feitos um para outro. O mais difícil é aceitar o desencanto.

Ela agora não sorri e os seus já não olhos brilham. Perderam a luminosidade e estão tristes e pesados….

4 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial