Diário de Bordo

Aqui ficará registado as aventuras e desventuras do meu percurso pelos mares das tecnologias... Foi com este objectivo que iniciei este diário. Hoje é mais do que um blog sobre o estudo das Tecnologias Educativas; é um registo do meu percurso de aprendizagem (de vida), onde as tecnologias continuam a ter importância. Sei que não o teria consigo manter se não fosse o seu formato digital; as interacções que aqui se estabelecem.

sábado, abril 30, 2005

Resposta ao desafio... finalmente!

Aqui fica a resposta ao desafio da minha Amiga T.

Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?
Boa Pergunta! Resposta difícil... muito difícil!
Deixa-me pensar... livro acabado não queria ser. Queria antes ser texto incompleto, escrito faseadamente, ao ritmo do tempo, em colaboração com aqueles que melhor me conhecem e que me são queridos. Queria observar a minha evolução, passar pela poesia, ancorar na prosa e voltar à lírica, consoante o estado de espirito da altura. Seriam um livro onde todos seriam convidados a fazer o gosto à pena.

Já alguma vez ficaste apanhadinha(o) por um personagem de ficção?
Acho que não... Há personagens que ficam na memória, mas são principalmente as histórias - e as conclusóes que daí tiro - que realmente marcam e permanecem no meu imaginário.

Qual foi o último livro que compraste?
Já foi há tanto tempo que já nem me lembro bem. Se não estou em erro, o último que adquiri foi a “Caverna� de José Saramago. Ultimamente tenho aderido aos empréstimos, quer da biblioteca quer dos amigos. O orçamento não permite muito mais.

Que livros estás a ler?
O tempo não é muito, o cansaço é maior. Comecei a ler o Equador (M. S. Tavares), estou a gostar, mas não tenho tido disposição para me entregar por completo ao prazer da leitura e saborea-lo como deve de ser. Em época normal tinha-o lido em uma ou duas semanas e já deveria ter saboreado outros, mas a disposição agora é outra. Ando demasiado tensa para poder dedicar-me a um dos meus hobbies favoritos: a leitura.

Que livros (5) levarias para uma ilha deserta?
Fernão Capelo Gaivota (R. Bach) para me lembrar a mim mesma que os sonhos são possíveis de realizar – basta acreditar e lutar por eles; Pensar, de Vergilio Ferreira, simplesmente porque gosto da sua companhia, faz-me bem reflectir com ele; Die Gerettete Zunge de Ellias Cannetti, uma auto-biografia interessantíssima, para não esquecer a língua alemã; Harry Potter, de J. K. Rowling. Don’t ask me why. Comecei a ler por teimosia (para compreender a razão de tal fenómeno de popularidade e só consegui acabar no último da altura. Por falar nisso tenho de arranjar o 6º!) e claro poesia de Fernado Pessoa.


A quem vais passar este testemunho (três pessoas) e porquê?
À Francisca, iniciante nestas andanças da blogsfera; promissora arquitecta de sites. O seu entusiasmo promete! Aqui fica o desafio para se tornar numa blogger!
Ao Luis, que tem intenções de começar um blog, mas que ainda não o fez. Aqui está uma boa desculpa! ;-)
A todos aqueles a quem mandarei um email com a proposta. Realmente, não conheço muita gente com blogs activos. Vamos ver se consigo contagiar mais alguém! (ultrapasso assim o limite estipulado! Oops.)

1 Comentários:

  • Às 4:09 da tarde, maio 03, 2005 , Blogger Carla Motah disse...

    Que interessante me parece essa biografia em alemão. É que também eu faço tudo para não esquecer a língua.Tenho o "Mein Jahrhundert" do Günter Grass, última aquisição na versão original, mas li apenas alguns contos. É um livro demasiado denso e soturno para ser lido em alemão. Queria algo mais activo e interessante.Que me perdoe o prémio nobel, mas as recordações da faculdade e deste senhor não são as mais agradáveis...

     

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial